Saúde financeira é a aplicação de boas práticas das empresas para manter o capital do negócio bem aplicado, sem inadimplências, com uma boa estruturação e estratégia de lucros e gestão de custos. 

Ou seja, ações que contribuam para que a empresa possua um CNPJ com score positivo, para conseguir créditos e ter a oportunidade de investir no negócio. 

Essas práticas são essenciais para todas as empresas e evitam dívidas, alta de juros, prejuízos e até a falência. 

Acompanhe no texto a importância da saúde financeira, como aplicar e dicas específicas da área:


Por que manter a saúde financeira da empresa?

Empresas que mantêm a saúde financeira possuem menos riscos de ter prejuízos, aplicar investimentos errados, se perder nas finanças e não conseguir arcar com as despesas. Por isso é tão importante que o seu negócio invista na saúde financeira. 

Ter boas práticas para uma saúde financeira vai muito além de pagar as contas no prazo certo, é preciso conseguir controlar o capital, investimentos e obter lucros da melhor forma possível. Além disso, muitas vendas também não são sinal de que tudo está indo bem. Às vezes, há venda em excesso, porém pouco lucro. Por isso, é preciso investir na saúde financeira do negócio

É importante entender a área financeira da empresa como um dos pontos críticos e de constante atenção. Afinal, muitos fatores externos e internos podem influenciar a performance deste setor. Mudanças no mercado, aumento de matérias primas, escolha errada de fornecedores, multas e autuações, má gestão contábil e fiscal, contratações erradas e muitos outros pontos. 

A seguir, separamos de forma geral, os pontos principais que precisam de atenção no momento de avaliar a saúde financeira da empresa:


Como avaliar a saúde financeira da empresa?

Existem diversos fatores que podem ser considerados no momento de avaliar o nível de saúde financeira do negócio. Confira alguns:

Faturamento x Custos x Lucros

Esse é um dos indicadores mais básicos de todos. Pois metrifica quanto de dinheiro está saindo (custo) e quanto está entrando (faturamento) e quanto de dinheiro a mais está restante (lucro). 

A regra básica é: os custos nunca podem ser maiores que os lucros. Se isso acontecer, significa que a saúde financeira da empresa está em atenção. Vale ressaltar que o custo aqui, não é o mesmo que investimentos feitos, por exemplo, no início de um negócio, pois o investimento demora um pouco mais a ser compensado. 

Os custos englobam os gastos fixos mensais. Por exemplo, uma loja de roupas online, possui em média 30 mil reais de custos por mês para comprar mercadoria, embalagens, softwares de gestão fiscal e financeira e dois funcionários. O faturamento por mês é de 100 mil reais, ou seja, se gasta 30 mil e entra 100 mil. Subtraindo o faturamento com o custo (100.000 – 30.000), resulta em 70 mil reais de lucro. 

Ticket Médio

O ticket médio tem o objetivo de entender qual o valor em média que entra na empresa por clientes. Para fazer esse cálculo, é necessário dividir o faturamento total do negócio pelo número de clientes. O ideal é que o ticket médio fique o mais alto possível de forma constante. 

Por exemplo, uma clínica médica teve 400 mil reais de faturamento no mês e 2 mil clientes. Então, o ticket médio da empresa é de 200 reais por cliente.  A partir desse valor, o time financeiro deve fazer várias análises para garantir que a área se mantenha financeiramente saudável, principalmente relacionando o ticket médio com custos e lucros.

Dívidas, empréstimos e financiamentos

Esse índice ajuda a empresa a entender o quanto de recurso utilizado é próprio, como por exemplo, reinvestimentos de lucros e quanto vem de empréstimos e financiamentos. 

O cálculo do índice de endividamento é feito com os ativos e passivos no balanço patrimonial. O valor total do passivo é dividido pelo total de ativo e multiplicando o resultado por 100 (para ver a porcentagem), se obtém o resultado. Quanto maior for o resultado, maior é o endividamento da empresa. 

Ou seja, para uma empresa ser financeiramente saudável, é necessário analisar minuciosamente os financiamentos e empréstimos, bem como as taxas de juros. A fim de entender em quanto tempo a dívida poderá ser paga e se esse dinheiro externo será realmente multiplicado e em quanto tempo. As projeções precisam ser realistas e identificar todos os fatores de interferência. 

Ponto de equilíbrio

Como saber, então, se a empresa está no caminho certo para a saúde financeira? O ponto de equilíbrio é um pouco da junção das etapas anteriores, ele revela após uma soma feita com todos os custos fixos e variáveis com o ticket médio e lucros. 

A partir disso é possível entender mais a fundo o faturamento, custos e o  valor que custa cada cliente para a empresa. Além disso, perceber em que período se dá esse ponto de equilíbrio, para entender melhor os índices de lucros com o comportamento do público. 

Enfim, essas são as formas básicas de entender como está a saúde financeira da sua empresa. Mas como contribuir para a melhora contínua dessas áreas, além do aumento de lucro?

Pensando nisso, separamos algumas dicas para você aplicar na sua empresa que contribuem com a saúde financeira do negócio que vão além apenas da entrada de mais dinheiro. Confira:

5 dicas para melhorar a saúde financeira da empresa

Todas as áreas da empresa devem trabalhar de forma interligada para contribuir com a saúde da empresa. Confira algumas dicas: 

1. Planejamento estratégico alinhado com o financeiro

O planejamento estratégico da empresa deve estar totalmente alinhado com o planejamento financeiro. Esse tipo de organização ajuda a ser mais certeiro nas expectativas de vendas, novos mercados, novos públicos, fraquezas e forças do produto com as finanças.

Os dois devem estar alinhados e o plano financeiro do ano deve ser seguido para que as estratégias acompanhem as despesas e investimentos. Normalmente, negócios que não alinham as duas áreas, acabam ficando com muitas dívidas, baixo lucro ou investimentos errados. É imprescindível que tudo esteja alinhado e com antecedência, já prevendo possíveis problemas e custos a mais.  

2. Acompanhe em tempo real compras e fornecedores

Entender de forma detalhada tudo o que é comprado é essencial para acompanhar a saúde financeira do negócio. Porém, o essencial é que isso ocorra de forma inteligente e automática. 

Para ter sempre fácil acesso às compras feitas bem como a movimentação de fornecedores, uma plataforma de gestão fiscal pode ajudar.

O arquivei, por exemplo, captura automaticamente todas as notas fiscais de entrada do negócio. Assim, é possível saber quantas compras foram feitas no período que você preferir, o valor de cada deles e dividir esses custos por fornecedores, matérias primas, produtos ou tipos de serviços. 

Acessar essas informações com poucos cliques te fornece estratégias certeiras de investimentos, escolha de fornecedores e vendas. Para garantir a saúde financeira da empresa é essencial utilizar na rotina uma plataforma como o Arquivei. Clique aqui para saber mais. 

3. Fuja ao máximo de multas e custos dispensáveis

Multas não devem ser encaradas e já calculadas como um custo fixo. A empresa precisa estar preparada para lidar com as obrigações fiscais e contábeis e fugir ao máximo para evitar perder dinheiro com esse tipo de custo que pode ser evitado. 

Além de ter documentações e entregas em dia, uma equipe fiscal e contábil estratégica também pode mapear substituição tributária para pagar menos impostos, tudo dentro da lei. 

⏩ Financeiro e contábil: entenda as diferenças

4. Invista em tecnologia para garantir a saúde financeira

A tecnologia é aliada das empresas e deve ter um lugar dentro da sua estratégia. Normalmente, o investimento feito é muito baixo comparado aos benefícios e o dinheiro investido é recuperado rapidamente.

As plataformas de automação ou softwares empresariais contribuem muito para diminuir custos e aprimorar as estratégias, o que também contribui para o crescimento da empresa. 

É muito importante poder contar com sistemas de ERPs, plataforma de consulta, gestão e armazenamento de notas e aplicativos gerenciadores de tarefas, por exemplo.

Tempo é dinheiro e muitas atividades podem ser feitas de forma mais rápida e eficiente com as plataformas certas. Os colaboradores se tornam mais produtivos e investem seu tempo de trabalho em processos estratégicos que mexem o ponteiro no crescimento da empresa! 

5. Não perca os dados de vista

Como citado anteriormente, acompanhar indicadores que medem a saúde financeira da empresa é essencial. Mas para além disso estão os dados estratégicos

Fazer a análise de dados constantes contribuem muito para a empresa crescer cada vez mais. Ou seja, utilizar os dados que estão disponíveis na rotina a favor do crescimento do negócio: informações das notas fiscais, horários de compras, números de fornecedores, taxa de churn, ARPA, juros, investimentos etc.

Os dados mostram a verdade e podem se transformar em estratégias usadas ao favor da empresa. Nunca deixe de acompanhar e analisar. 


Faça como milhares de empresas de sucesso: conte com o Arquivei para me

A plataforma Arquivei te fornece em poucos cliques diversos dados valiosos para serem usados nas estratégias do negócio. 

Tudo isso através das notas fiscais emitidas contra o CNPJ da empresa que são recebidas e armazenadas automaticamente pelo Arquivei. A partir disso, você pode controlar melhor as saídas, entradas, performance de fornecedores, gastos e criar relatórios inteligentes com essas informações em poucos cliques.

Além disso, a plataforma Arquivei faz cruzamentos automáticos de obrigações fiscais e conferências, garantindo o compliance fiscal e evitando multas.

Para ter uma empresa com saúde financeira de forma prática e eficiente, comece a usar a plataforma arquivei.

Temas:

Compartilhe nas redes sociais

Escrito por Daniele Lima

Nenhuma descrição disponível para este autor.