Você sabia que o boleto continua sendo um dos métodos de pagamento mais usados no Brasil, tanto por pessoas físicas quanto pessoas jurídicas? Tanto a praticidade, quanto a segurança fazem com que essa seja uma opção popular para pagar contas e realizar compras online. O que pouca gente sabe é que existem dois tipos: o boleto não registrado e o registrado.

Afinal, qual é a diferença? Não se preocupa se ainda não sabe, porque não é tão simples identificar esse detalhe entre as cobranças apenas olhando para o documento emitido. É sobre isso que o artigo a seguir trata. 

Leia a seguir e entenda todas as diferenças entre ambos e saiba também o que fazer quando um boleto não está registrado e, por fim, saiba como seu negócio pode ser potencializado com uma boa gestão financeira. 

O que é o registro de um boleto?

Um boleto registrado é um documento usado como título de cobrança com as principais informações sobre a transação, como os dados do emissor e do pagador, valor do pagamento e data de vencimento. 

Registrar o boleto significa mais segurança e confiabilidade, sendo ideal para minimizar riscos de fraudes e inadimplência. Essa modalidade de boleto tem algumas características que a diferenciam do boleto tradicional — isso proporciona mais proteção para todas as partes envolvidas na transação.

Na prática funciona assim: quando o documento é emitido, gera-se uma requisição para a instituição financeira registrar e validar todos os dados contidos ali e, então, disponibilizar o pagamento do boleto.

Desde de 2015, a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos)  já alertava sobre a importância de boletos mais seguros e rastreáveis, mas foi somente em 2018 que começou a obrigação de registro. Para isso, a Febraban desenvolveu a Nova Plataforma de Cobrança para modernizar o processo de pagamento desse título de cobrança.

Conforme as Circulares 3.461/09, 3.598/12 e 3.656/13, o órgão exige algumas informações para realizar o registro : CPF ou CNPJ do beneficiário e do pagador, valor da cobrança e data de vencimento.

O que significa boleto não registrado?

Antes do boleto ser obrigatoriamente registrado, as empresas precisam emitir boletos, que por sua vez não tinham registros. Assim, são chamados de boletos sem registro, ou boletos simples.

A principal diferença entre ambos era que os sem o registro não traçavam as informações importantes para o emissor, como os dados do pagador, o valor e a data de vencimento. Assim, qualquer informação poderia ser modificada sem que o banco soubesse de antemão, impedindo o rastreio e verificação de autenticidade.

Ou seja, as instituições financeiras não tinham nenhum controle sobre esses títulos emitidos, facilitando a fraude e prejudicando a segurança e arrecadação das transações.

O que fazer quando um boleto é sinalizado como não registrado?

Até aqui você já sabe que os boletos que a sua empresa receber precisam estar registrados. Se notar informações inconsistentes, é importante checar todos os dados para tomar a atitude correta.

Primeiro, é necessário confirmar a origem do boleto. Para isso, basta entrar em contato com a empresa emissora ou banco responsável pela cobrança para verificar a autenticidade do documento. Enquanto não for confirmado, não faça nenhum pagamento, pois se for fraudulento, pode gerar muita dor de cabeça e prejuízo financeiro para o seu negócio. 

Confirmou a tentativa de fraude? O ideal é denunciar o documento ao Banco Central para que todas as medidas sejam tomadas por parte do órgão. Assim, você evita que outras empresas caiam em fraudes e ajuda o governo a combater esse tipo de crime.

Temas:

Compartilhe nas redes sociais

Escrito por Arquivei

Uma empresa focada em se tornar o maior SaaS do Brasil, conectando todas as áreas que utilizam documentos fiscais de uma empresa em um só lugar. Trabalhamos com NFes, NFSes, CTes, MDFes, NFCes, CFe-SAT com integrações com SAP, TOTVS, Bling, Tiny e muitos outros ERPs para facilitar as rotinas das empresas brasileiras! Saiba mais sobre o autor